Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook

Avallone diz que ser da base não significa apoio em eleição e PSDB articula candidatura própria


unnamed
Esta postagem foi publicada em 16 de novembro de 2021 Destaque 1, Notícias.

O deputado estadual Carlos Avallone, presidente estadual do PSDB, afirmou que não vai esperar o governador Mauro Mendes (DEM) decidir se sairá ou não à reeleição. Segundo ele, este ‘erro’ foi cometido em 2016, quando Mendes desistiu de concorrer à Prefeitura de Cuiabá. O parlamentar tucano afirmou que “estar na base [do governo] não significa apoio”.

O PSDB, segundo Avallone, se articula para ter candidato próprio ao governo em 2022. O parlamentar lembrou que em 2016 o partido teve que lançar Wilson Santos “às pressas”, o que deixou o colega, inclusive, endividado. “Nós fomos muito prejudicados com o recuo dele porque nós, obrigatoriamente, tivemos que lançar o Wilson que não podia ser candidato que nem queria, e foi obrigado a ser candidato, então assim, quando se trata do Mauro a gente tem que sempre estar preocupado e com o pé atrás, então por isso que eu digo, cometi o erro lá atrás e não cometo mais”, afirmou.

Avallone afirmou que, inclusive, já conversou com o próprio Mauro sobre isso. Em 2016, segundo ele, Wilson queria lançar candidatura própria e Avallone preferiu fazer uma eleição interna a pedido do então governador Pedro Taques, para que o partido somente indicasse secretarias.

“Ganhei a votação interna, porque era o presidente do municipal com Wilson contra mim e depois o Wilson tinha razão, porque depois que teve que ser candidato, está com dívida até hoje, certo? Isso é um problema sério.  Então assim, nesse caso, sendo bastante específico, até porque já disse a ele, o Mauro tem uma vida que ele não precisa ser político, certo? Então, ele sempre fala isso. Se ele entender que ele precisa recuar, ele recua. Nós não podemos fazer um projeto que está dependendo da decisão dele. Está indo bem, tem um bom uma boa gestão, tendo alguns problemas de ordem localizada, certo? E que é possível ter outras candidaturas e eu vou trabalhar para a candidatura do PSDB”, completou.

O presidente do PSDB, inclusive, afirmou que apesar de Mato Grosso nunca ter tido segundo turno para o Governo, isso pode acontecer em 2022, e aí os apoios podem ser rediscutidos. “Isso [não ter segundo turno] uma hora vai mudar. E você sempre tem que trabalhar olhando o primeiro turno e deslumbrando o segundo turno. Você sempre tem que tem que saber em que em que lado você está. As candidaturas de primeiro turno são assim. São para entender a relação da sociedade”, finalizou.

 

 

 

 

Fonte: Olhar Direto


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Politica de Privacidade!

-

76C16F68-917F-4C88-8DC1-7D0A4250D2A3 155878a9-213d-4c2f-9e12-54738fc50437