Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Cuiabá: Perito afirma que tiro que matou Isabele não foi acidental


20
Esta postagem foi publicada em 4 de agosto de 2020 Notícias, Política.

O perito Carlos Roberto Angelotti, de 59 anos, que atua como assistente técnico no inquérito policial de Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, apontou que o tiro que matou a adolescente não foi acidental. O perito foi contrato pela família da vítima.

Laudos periciais do local do crime e balística vão trazer à tona a verdade sobre o homicídio, entretanto, com base no laudo da necrópsia, a qual o profissional teve acesso, ele antecipa que o disparo não foi acidental.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) ainda irá realizar a reprodução simulada do crime, da qual Angelotti participará.

Ele ainda apontou que prefere não se manifestar sobre as investigações, visto que ainda estão em curso, mas ressalta que o testemunho de um perito nunca é mentiroso, disse para Gazeta Digital.

Angelotti é professor da Academia de Polícia, das disciplinas de local de crime e balística, o perito aposentou-se recentemente com 32 anos de atuação junto à Politec. Ele foi responsável por criar o método de reprodução simulada que é utilizado pela instituição e foi mestre de grande parte dos peritos responsáveis pela emissão dos laudos deste crime.

Segundo a  Politec, o laudo de balística deve ficar pronto nesta terça-feira (4) e, em seguida, o de local de crime, os quais serão entregues na Delegacia Especializada do Adolescente (DEA).

 

Relembre o caso

 

Isabele Guimarães morreu na casa da amiga, filha do empresário Marcelo Cestari, na noite do dia 12 de julho deste ano. As informações são que a amiga estava indo guardar duas armas e que em um acidente, as armas caíram e ao pegá-las uma disparou acidentalmente, acertando Isabele, que estava dentro do banheiro do quarto da amiga. O tiro acertou o nariz e saiu na nuca.

Na mesma noite, a Polícia Civil apreendeu sete armas na residência, sendo duas em nome de uma terceira pessoa. Por não ter o porte das armas, Marcelo foi preso em flagrante e pagou R$ 1 mil para ser solto.

As duas armas são do sogro da adolescente B.O.C. e foram levadas até a casa pelo namorado da jovem.

 

 

 

 

Fonte: Gazeta Digital


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-