Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook

De olho na AL, Júlio diz que urna eletrônica é um “perigo” e defende voto impresso


e504f1df66c4c46cc36a62794d1861a3
Esta postagem foi publicada em 3 de agosto de 2021 Destaque Slide Topo, Notícias.

Ex-governador e ex-federal Júlio Campos (DEM) endossa a campanha do presidente Jair Bolsonaro e afirma ser favorável ao voto impresso. Em entrevista à imprensa, durante reunião do Democratas nesta segunda (2), o ex-senador argumenta que a urna eletrônica é considerada um “perigo que ninguém discute”.

“O voto impresso é uma necessidade. Porque esconder o voto? Porque não ter a conferência na hora? Eu já passei por essa urna eletrônica e o que ela é, é um perigo que ninguém discute”, disse Júlio, que é pré-candidato a deputado estadual em 2022.

Júlio, que também foi conselheiro do TCE, Júlio, ainda considerou uma “covardia” que os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sejam contrários ao voto impresso. Para ele, há algo de estranho na negativa.

Manifestações em favor do voto impresso se popularizaram nos últimos meses no Brasil por apoiadores do presidente Bolsonaro. Eles defendem que as urnas eletrônicas são passíveis de fraude e pedem que o voto impresso auditável seja viável no pleito eleitoral de 2022.

TSE por outro lado, afirma que elas são 100% seguras e que, desde que entrou em uso, em 1996, nunca tiveram nenhum registro de fraude. Nesta segunda (2), o Plenário do TSE aprovou a proposta do corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luis Felipe Salomão, de converter em inquérito administrativo o procedimento aberto para que autoridades públicas do país pudessem apresentar provas que comprovassem ocorrências de fraude no sistema eletrônico votação nas Eleições de 2018, em particular nas urnas eletrônicas. A proposição foi aprovada por unanimidade

 

 

Fonte: RD News


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Politica de Privacidade!

-