Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Delegado vai pedir DNA para identificar ossadas encontradas carbonizadas em Porto dos Gaúchos.


04
Esta postagem foi publicada em 5 de maio de 2021 Destaque 2, Notícias.

O Delegado da Polícia Judiciária Civil de Porto dos Gaúchos, Dr. João Antônio Batista Ribeiro Torres, já iníciou às investigações para checar todos os elementos e chegar, o mais rápido possível, aos autores do crime que vitimou duas pessoas, cujas ossadas foram encontradas carbonizadas dentro de uma caminhonete L-200 Triton, nessa segunda-feira, dia 03 de maio, em uma das margens da estrada da Baiana.

O veículo foi encontrado com alguns ossos carbonizados dentro, na região da Fazenda VMX, próximo à estrada na Baiana naquele município, no local conhecido como Serrinha. A caminhonete também estava totalmente queimada.

Em entrevista coletiva concedida à imprensa de Porto dos Gaúchos e ao site Show de Notícias, o delegado fala que a Polícia Civil trabalha com várias linhas de investigação, porém, a mais provável é a de que a caminhonete seja a de propriedade do casal Valdir Henning, 45 anos, e Tatiana Medeiros da Silva Henning, 46 anos de idade, uma vez que a placa confere com a do documento e que as ossadas sejam do casal que está desaparecido desde o dia 28 de abril, após ter saído de Itanhangá, quando usavam um veículo similar ao encontrado queimado e seguido com destino a uma fazenda de propriedade deles na região do KM 47, município de Porto dos Gaúchos.

Dr. Antônio explicou que, na tarde de segunda-feira, dia 03 de maio, familiares das vítimas encontraram a caminhonete totalmente destruída por fogo e dentro dela estavam dois corpos carbonizados.

Antes de chegarem ao veículo, os familiares localizaram rastros de veículos na mata, onde havia vestígios de sangue, capsulas de arma de fogo deflagradas, alguns pedaços de roupa e um relógio, que teria sido identificado como sendo o que era usado por Valdir.

Os poucos ossos que restaram levam à crer que podem ser das vítimas e que, de acordo com a placa, a caminhonete também seria a de propriedade do casal, porém, só uma perícia técnica no veículo e o DNA dos restos mortais encontrados comparados com os parentes, poderão definir se realmente trata-se do casal Valdir e Tatiana.

O Show de Notícias se deslocou até Porto dos Gaúchos para ouvir o delegado e mostra a entrevista em vídeo para seus leitores.

O Delegado declarou que as investigações serão bastante complicadas, uma vez que a suposta vítima Valdir Henning, tinha uma vida pregressa bastante complicada, pois era conhecido inclusive, como “caloteiro” e vivia em uma região onde há muitos conflitos fundiários.

Como presidente do inquérito, Dr. João Antônio não descarta a possibilidade de um crime de latrocínio, uma vez que Valdir costumava usar bastante joias caras, poderia estar portando bastante dinheiro em espécie e isso pode ter atraído os bandidos.

Outra possibilidade é de um crime de vingança, uma vez que Valdir já tinha passagens pela polícia e como destacou, sua vida pregressa não era nada convencional.

Com relação ao fato de atearem fogo na caminhonete e nos possíveis corpos, pode ter sido uma forma de queima de arquivo, devido a repercussão que o fato ganhou na imprensa e nos meios policiais.

O Show de Notícias questionou o fato da esposa de Valdir, a senhora Tatiana, ter sido morta junto com o marido, se não poderia ser para eliminar provas e ele respondeu que essa é uma possibilidade e que não está descartada no inquérito.

Com relação a possíveis suspeitos, o delegado preferiu se resguardar, pois ainda é cedo para apontar culpados, uma vez que as investigações ainda estão muito embrionárias, mas não descarta nenhuma possibilidade.

 

 

Fonte: Show de Noticias 


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-