Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook

Em MT, 49 casos suspeitos de reinfecção por Covid-19 são investigados por Secretaria de Saúde


03
Esta postagem foi publicada em 22 de abril de 2021 Destaque Slide Topo, Notícias.

Para confirmar a recontaminação é preciso provar que o código genético do primeiro vírus seja diferente do segundo.

Em Mato Grosso, há 49 casos suspeitos de reinfecção por Covid-19 sendo investigados com base nos exames realizados na rede pública pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). Nenhum caso no estado foi confirmado até o momento.

Até o mês passado, eram 35 casos suspeitos.

As investigações desses casos ainda não foram concluídas, segundo a SES.

Especialistas dizem que variante brasileira tem potencial de reinfectar quem já teve Covid

Reinfecção mais grave por variante do coronavírus traz novo alerta sobre as mutações, diz cientista

A reinfecção ocorre quando a pessoa se recupera da Covid-19 e tempos depois adoece novamente.

Para confirmar a recontaminação é preciso provar que o código genético do primeiro vírus seja diferente do segundo. Esse código genético é como se fosse uma impressão digital do vírus.

Entre os critérios usados para detectar esse caso raro, o indivíduo deve ter dois resultados detectáveis de RT-PCR para o vírus SARS-CoV-2, com intervalo igual ou superior a 90 dias entre os dois episódios de infecção.

11 vídeos

Agora é assim? As mudanças na saúde e no comportamento após a pandemia

‘Temos mais armas para nos proteger, mas situação ainda é complicada’, diz Átila Iamarino

‘Vamos ter de conviver com a pandemia por um bom tempo’, analisa infectologista

Neste mês, a mãe do ex-governador Dante de Oliveira, Maria Benedita Martins de Oliveira, de 99 anos, foi infectada pela segunda vez e venceu a Covid-19, a 20 dias de completar 100 anos de idade.

Em janeiro, o deputado Valmir Moretto (Republicanos) ficou seis dias internado em um hospital particular de Cuiabá em tratamento contra a Covid-19 pela segunda vez. Valmir testou positivo para a doença, pela primeira vez, em julho do ano passado.

No início de fevereiro deste ano, o governo confirmou que a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, foi testada positivo para Covid-19 pela segunda vez.

No mesmo mês, o deputado estadual Paulo Araújo (PP) foi reinfectado pela Covid-19, conforme exame realizado. O parlamentar explica que em maio do ano passado foi diagnosticado pela primeira vez com a doença.

Em março, a jornalista Elisângela Neponuceno, de 47 anos, morreu após ser infectada pela Covid-19. Ela estava internada na UTI do Hospital de Referência da Covid-19, em Cuiabá.

Adolescente testa positivo para Covid-19 três vezes na PB; suspeita de reinfecção é investigada

Variante brasileira causa reinfecção

A variante brasileira do coronavírus, que provavelmente emergiu em Manaus no fim de 2020, pode driblar o sistema imune de indivíduos já infectados pela Covid-19 e causar uma nova infecção, de acordo com uma nova pesquisa divulgada em março.

Além disso, pode ser até 2,2 vezes mais transmissível do que as outras variantes do vírus.

Primeiro caso

O primeiro caso de reinfecção confirmado pelo Ministério da Saúde no Brasil foi no dia 9 de dezembro. A paciente era uma médica de 37 anos que mora em Natal e trabalha também na Paraíba.

Casos de Covid-19

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) são 346.743 casos confirmados da Covid-19 desde o início da pandemia em Mato Grosso e 9.296 mortes.

Foram notificadas 1.072 novas confirmações de casos de coronavírus.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 518 internações em UTIs públicas e 461 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 95,75% para UTIs adulto e em 57% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (73.829), Rondonópolis (25.927), Várzea Grande (22.827), Sinop (18.271), Sorriso (12.379), Tangará da Serra (11.551), Lucas do Rio Verde (11.097), Primavera do Leste (9.857), Cáceres (7.474) e Alta Floresta (6.570).

Um total de 305.997 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 935 amostras em análise laboratorial.

 

 

Fonte: G1 MT 


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Politica de Privacidade!

-

anigif