Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Faxineira de hotel em MT afirma que hóspede disse para filha estudar se não ficará como ela e post viraliza


Esta postagem foi publicada em 26 de setembro de 2019 Destaque 1, Notícias.

Uma estudante de letras de 20 anos, que trabalha como faxineira em um hotel de Cuiabá, fez uma postagem dizendo ter sido vítima de preconceito durante o trabalho no último domingo (22). Segundo Adriele Coelho Rodrigues, um hóspede disse à filha que ela tinha que estudar para não ser como a trabalhadora.

Ela disse ter dito ao hóspede que estudava para manter os estudos.

Posteriormente, Adriele fez uma postagem em uma rede social relatando o episódio. O post teve centenas de compartilhamentos.

Ao G1, ela explicou que tentou responder da forma mais educada possível, sem ofender o hóspede.

“Por mais indignada que eu estivesse, estava no meu local e horário de trabalho. Não poderia perder meu emprego”, explicou.

Segundo ela, o homem apenas ouviu e não disse nada. A menina também não respondeu.

Adriele mora em Cuiabá sem os pais, que moram em outra cidade. E apesar de estudar em uma universidade pública, ela precisar custear as despesas com moradia.

A estudante divide apartamento com uma amiga que também não tem família na capital. Para se manter, Adriele trabalha durante o dia e estuda no período noturno.

Ela estava de férias, em Nova Mutum, a 269 km da capital, onde parte da família mora, quando recebeu a ligação informando que ela havia sido selecionada para a vaga de trabalho no hotel. Voltou para Cuiabá para garantir a vaga.

História de vida

A mãe de Adriele é vendedora e o pai é pedreiro. Ela conta que tem orgulho dos pais e que sempre foi incentivada a trabalhar.

“Nunca tive vergonha de trabalhar. Aos 16 anos, consegui o primeiro trabalho com carteira assinada. Sempre tentei conciliar trabalho e estudo”.

Ela sonha ser professora e, depois, alinhar a profissão a um trabalho social.

Adriele escreve poemas desde os 14 anos.

“Meus amigos sempre me dizem para publicar meus textos. Eles acham que minhas palavras passam boas sensações e que as minhas poesias são legais, mas eu ainda não sei”, confidenciou.

Fonte: G1 MT


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-