Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Janaína: “Não vou fugir da raia”, garante deputada, sobre eventual candidatura


janaina
Esta postagem foi publicada em 10 de abril de 2019 Destaque Slide Topo, Notícias.

Com a declaração de que não disputará a reeleição nos ano que vem, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) abre caminho para que a deputada Janaína Riva e outros nomes da sigla possam construir projeto visando comandar a prefeitura da Capital.

A parlamentar não esconde seu desejo de entrar na disputa, embora pondere que não tem trabalhado por isso.

“Não estava dentro dos meus planos, mas é óbvio que se eu estiver bem, não vou fugir da raia”, afirma.

Nos últimos meses, o nome da parlamentar tem sido frequentemente ventilado nos bastidores da política sucessória municipal com vistas ao pleito de 2020. Muito dessa lembrança, mesmo internamente no partido, se deve ao desgaste que Emanuel Pinheiro tem enfrentado na condução de seu mandato, chamuscado por críticas, denúncias e resistência política e popular. A rejeição de Pinheiro, conforme dados recentes da KGM Pesquisas, beira os 60%.

“É um nome forte e viável. Ela ganhou a confiança dos servidores públicos, na luta por direitos como a RGA, portanto, é um grande nome, sim, que o partido tem para uma eventual disputa”, avaliou o ex-deputado e atual secretário estadual da Agricultura Familiar, Silvano Amaral, que é membro do Diretório Regional do MDB.  Entretanto, Amaral avalia que não há nenhum nome consolidado do partido para disputar o Palácio Alencastro. “Todos que quiserem concorrer vão ter que se viabilizar e quem estiver melhor será o candidato, isso tem que combinar antes com o povo”, frisou

Mas Janaína, ao que parece, está consciente disso. Para ela, estar à disposição do partido não significa que já esteja em campanha, internamente, para viabilizar seu nome. Além do que sinalizou Silvano, ela condiciona um eventual projeto eleitoral ao que chama de “condições muito favoráveis”.

“Precisaria ter um grupo grande me apoiando, viabilidade de apoio financeiro, pois uma eleição como essa não é barata, então são vários fatores e eu não vou colocar meu nome, de forma irresponsável”, ponderou.

Em seu segundo mandato como deputada estadual, sendo a campeã de votos na última eleição, Janaína, que nasceu em Juara, no norte do Estado, afirma que já é eleitora de Cuiabá, onde vive desde os seis anos de idade, quando o pai dela, José Riva, se tornou também deputado estadual.  Riva, o pai, teve muitos problemas com a Justiça, denúncias e condenações por atos de corrupção, durante mais de duas décadas no parlamento.

“Mas ela é diferente do pai. Tem uma forma diferente de trabalhar. Ele tinha um estilo mais assistencialista de atuar, ela não, ela criou sua identidade própria”, opinou Sivano Amaral, sem descartar que, de todo modo, o sobrenome do pai, “ainda pesa um pouco, não podemos ser hipócritas”.

Além da deputada, outro emedebista que estaria no páreo para uma disputa pela prefeitura de Cuiabá em 2020, é Valtenir Pereira, que, atualmente, na condição de suplente, assumiu a vaga de deputado federal no lugar Carlos Bezerra (que se licenciou), já que no pleito do ano passado não conseguiu se reeleger para uma das oito cadeiras destinadas a Mato Grosso na Câmara, em Brasília.

Diferente de Janaína, Pereira tem sido mais incisivo quando o assunto é candidatura a prefeito de Cuiabá em 2020. Recentemente ele se envolveu num “fogo cruzado” com Emanuel Pinheiro, onde trocou acusações mútuas de supostos atos de corrupção.

“Nem Emanuel seria um candidato natural. Isso só será definido por pesquisas no ano que vem, portanto todos têm chance, basta combinar com o povo”, reforçou, Amaral.

A construção de um eventual projeto, conforme a deputada Janaína, deve se dar de forma natural e, ao contrário do que disse recentemente o prefeito Emanuel, depende muito do cenário  da época da eleição.

“Eu vejo o Emanuel falando que pode  colocar os nomes, porque ele não será candidato, devemos lembrar que ele se tornou candidato na eleição passada,  nos 45 minutos do segundo tempo e venceu as eleições, porque as condições naquele momento eram favoráveis quanto ao cenário político, as avaliações eram muito boas com os servidores públicos, já que  a gente sabe que essa classe é muito importante e forte aqui na Capital. Então tudo isso, não existe uma candidatura goela abaixo e depois eu não acho que essa próxima eleição vá cair no colo de qualquer um, não, pois o eleitor cuiabano é muito qualificado, e a história mostra que ele busca sempre alguém experiente para ser o prefeito da Capital”, disse, embora enfatizando que já não se consideram mais inexperiente.

 

Fonte: Hiper Noticia/ Paulo Coelho


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-

anigif2