Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Mato Grosso é o estado que menos utiliza o ‘cotão’


03
Esta postagem foi publicada em 29 de julho de 2019 Destaque Slide Topo, Notícias.

Mato Grosso é o Estado em que os deputados federais menos utilizaram o chamado “cotão” do País. Dos 26 Estados, os parlamentares mato-grossenses só gastaram R$ 913.040,50, ou seja, 51% do total que esta disponibilizado pela Câmara Federal.

É claro que Mato Grosso possui apenas 8 deputados federais, assim como outros 9 Estados, que estão na lista dos que possuem a menor representatividade na Câmara. O valor fixado para cada deputado do Estado é de R$ 39.428 mil, que deixa Mato Grosso na 19° lugar em termos de valores do “cotão”.

Estados como Amazonas, Tocantins, Sergipe, Acre, Amapá, Roraima, Rio Grande do Norte, Rondônia, Mato Grosso do Sul, possuem o valor do “cotão” bem maior e gastaram muito mais que Mato Grosso.

Os 8 deputados amazonenses, por exemplo, utilizaram R$ 1.469.695,12, nesses primeiro 7 meses de legislatura, ou seja, 74% do que a bancada tem direito.

Já os nossos vizinhos sul-matogrossenses, gastaram R$ 1.082.462,28, o que representa 59% do total.

Se for contabilizado o Distrito Federal (DF), a bancada de Brasília também possui 8 deputados e é a que menos utilizou a verba parlamentar nesses 7 meses, gastando apenas R$ 495.778,25, o que representa 35% do total permitido para o DF.

O levantamento foi feito pelo site Ranking dos Políticos do Brasil que analisou os dados entre 1º de fevereiro a 22 de julho deste ano.

O “Cotão” foi criado em 2009 e pode ser utilizado através de débito automático na conta ou através de reembolso. O deputado tem até 90 dias para apresentar a documentação comprobatória do gasto, depois da data de prestação do serviço ou de fornecimento do produto. O saldo não utilizado acumula-se ao longo do exercício financeiro e é vedada a acumulação de um exercício financeiro para o seguinte.

Os deputados podem utilizar os recursos com passagens aéreas, telefonia e serviços postais (exceto compra de selo), manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar, alimentação do parlamentar, hospedagem, exceto dos parlamentares do Distrito Federal, aluguel de carros, locação ou fretamento de aeronaves e embarcações, serviço de táxi, pedágio e estacionamento, combustíveis e lubrificantes, até o limite mensal de R$ 6.000,00, serviços de segurança prestados por empresas especializadas, contratação de consultorias e trabalhos técnicos, divulgação de atividade parlamentar, participação em cursos, palestras, seminários, seminários, simpósios e congressos e complementação de auxílio-moradia.

Raking dos representantes de MT

O deputado federal Neri Geller (PP) foi o que utilizou os recursos do ‘cotão’ neste primeiro semestre. O progressista utilizou R$ 188.337,53, que representa 84% do que lhe é permitido.

Já a deputada federal Rosa Neide (PT) gastou R$ 154.856,28. O suplente de deputado Valtenir Pereira (MDB), que ficou 4 meses no mandato, utilizou R$ 149.530,56.

Em quarto o deputado Juarez Costa (MDB) utilizou 54% do que é permitido, um total de R$ 118.748,02.

Já os deputados que gastaram menos que 50% da verba parlamentar estão o deputado Emanuel Neto (PTB) com R$ 89.869,10, José Medeiros (Pode) R$ 83.212,54, Dr° Leonardo Albuquerque (SD) com R4 82.760,41 e Nelson Barbudo (PSL) R$ 27.442,89.

Reprodução

Ranking Deputados

 

 

Fonte: Gazeta Digital


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-

DIA DAS MÃES