Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Mendes: Cidadão não quer saber de conversinha eleitoral agora


03
Esta postagem foi publicada em 27 de abril de 2021 Destaque 1, Notícias.

Governador rebateu questionamentos sobre articulação política da direita visando o Palácio Paiaguás

O governador Mauro Mendes (DEM) voltou a criticar, nesta seguda-feira (26), as movimentações políticas em torno das eleições de 2022, afirmando que esse não é o momento para discutir o tema. Ele disse que se recusa a antecipar o processo eleitoral, que deve ocorrer apenas no final do próximo ano.

“O cidadão não quer saber de conversinha eleitoral nesse momento. Ele quer ver os seus representantes, que ganham salário vindo do dinheiro público, trabalhando com seriedade, cada um no seu quadrado, fazendo aquilo que é importante para melhorar a vida e tantos problemas que tem em todos os ângulos”, afirmou.

Cotado à reeleição, Mendes já afirmou que deverá decidir sobre uma possível nova candidatura ao Palácio Paiaguás no ano que vem, após pesquisar a satisfação da população com o seu mandato e conversar com a sua família.

“Vou continuar trabalhando. Fui eleito para um mandato de quatro anos e a minha missão é trabalhar por Mato Grosso. Não vou falar de eleição antes do ano eleitoral chegar. Deixa 2022 para 2022”, disse.

No entanto, alguns políticos já começaram a articulação do tabuleiro. Recentemente, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), que é desafeto de Mendes, já insinuou que deverá sair candidato ao Governo ou irá ajudar a construir uma candidatura adversária à atual gestão.

Já no final de semana, lideranças partidárias de direita se reuniram e planejam lançar, em conjunto, um nome ao Palácio Paiaguás.

De acordo como deputado federal José Medeiros (Podemos), o apoio a Mendes é impossível diante das críticas feitas pelo democrata ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que deve sair à reeleição.

Segundo Mendes, o foco dos políticos, neste momento, deveria ser “trabalhar para entregar resultados à população”.

“Nós temos que trabalhar, tanto eu quanto qualquer vereador, prefeito, deputado, presidente, senador. Tem muita coisa mais importante [para ser discutida]”, declarou.

 

 

Fonte: Midia News

 


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-