Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Mendes critica falta de comando e diz que Brasil “vive desordem”


02
Esta postagem foi publicada em 9 de abril de 2021 Destaque 1, Notícias.

Embora seja um defensor de várias ideias e posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro, conforme já demonstrou ao longo de 2019 e 2020, o governador Mauro Mendes (DEM) reconhece que ele não fez sua função enquanto “maior liderança” do Brasil para coordenar ações integrandas de enfrentamento à pandemia de Covid-19. Sem citar diretamente o nome do presidente, Mendes lamentou a falta de comando que resultou numa confusão envolvendo todos os Poderes, instituições, governadores e prefeitos que não conseguem se entender enquanto as mortes e novos casos de coronavírus só aumentam e fazem milhares de vítimas.  

“Temos que reconhecer que o Brasil vive uma grande confusão e esse é o grande problema desse momento. O presidente fala uma coisa, os governadores falam outra, prefeitos falam outra, ai o Judiciário fala uma coisa num Estado e fala outra em outro Estado. Com todo respeito, o Brasil vive um momento de desordem, de desequilibrio, isso é muito ruim, muito perigoso porque as decisões, lá no Supremo um ministro decide uma coisa, outro ministro vem e derruba aquilo que o plenário já decidiu, olha só que doidura”, lamentou Mauro Mendes em entrevista à Rádio CBN Cuiabá. 

Esse desequilíbrio, conforme ponderou o chefe do Palácio Paiguás, leva a ter decisões conflitantes, deixando a população perdida no meio do “tiroteio” de decretos e decisões judiciais. “O cidadão, que é o menos culpado nessa história, fica sem saber se ele ouve o presidente, se ouve o governador, ou o prefeito, se ouve o papa, o bispo porque cada um fala uma coisa. Não existiu no Brasil, nesse processo de pandemia, uma voz única, uma liderança forte que pudesse conduzir o Brasil num rumo e todo mundo seguisse. É assim que uma nação vence uma guerra, é assim que um exército vence uma guerra e nós estamos perdendo muitas vidas nessa guerra contra o virus e é muito doído isso”, declarou o governador.

Apesar das críticas que recebe de todos os lados, desde comerciantes que querem reabrir seus negócios considerados não essenciais para funcionamento na pandemia que se agrava a cada dia, até dos defensores de um lockdown severo em todo o Estado, Mauro Mendes afirmou que ele também é afetado diariamente. “Tem dias que eu chego em casa acabado porque escuto todos os momentos, vejo histórias verdadeiras de pessoas que estão perdendo a vida e a gente fica naquela agonia tentando fazer alguma coisa, isso desgasta emocionalmente muito. Mas eu renovo todos os dias minhas orações, peço a Deus pra manter força e equilíbrio pra gente continuar tomando as decisões corretas”, contou o democrata.

INTERFERÊNCIA DO MP E JUDICIÁRIO

Diante da falta de consenso entre os poderes, gestores, classe política, setores produtivos do comércio, indústria e demais segmentos, Mauro Mendens reconhece que motiva a interferência em ações que deveriam ser tomadas por governadores e prefeitos. “O Ministério Público e Judiciário acabam decidindo coisas que prefeitos não decidem, que autoridades não decidem. Que um decide e outro não faz, um decide uma coisa e outro vem e quer mudar. Virou, com todo respeito, uma coisa meio bagunçada, então vou evitar fazer críticas a qualquer um porque agora o momento é de trabalhar. Não é hora de ficar criticando ninguém, cada um fazer sua parte pra gente produzir o melhor resultado possível e salvar o maior número de vidas possível”, ponderou Mendes. 

FALTA DE RESPEITO

Tomando como exemplo o caso do prefeito de de Campo Novo do Parecis, Rafael Machado (PSL), que insurgiu contra uma decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) para fechamento temporário do comérci por 10 dias alegando que não iria cumprir a decisão e incentivou os comerciantes a fazerem o mesmo, o governador lamentou a situação de desrespeito e ofensas recorrente em todo o País durante a pandemia. “É um momento difícil, vi esse prefeito fazendo isso e chegou a ser pedido o afastamento dele. Eu até fiz algumas ações pra evitar isso acontecesse porque é muito ruim essa interferência excessiva. O diálogo nesse momento  é mais importante que o excesso de força”. 

Conforme o governador Mauro Mendes, o  Brasil vive momento difícil, onde as pessoas estão perdendo o respeito generalizado. “Existe um sentimento generalizado de perda de respeito, de autoridade,  as pessoas xingam o presidente da República com nomes que bem entendem, xingam os governadores, os políticos, elas se xingam, se ofendem nas redes sociais, isso é muito perigoso. Temos que botar um ponto final nisso, as pessoas podem falar, podem criticar, mas não podem perder o respeito”, reclamou. 

Por fim, Mendes também condenou a prática de espalhar mentiras nas redes sociais para prejudicar ou defender opiniões sem qualquer embasamento legal. “E tem que falar a verdade. Com todo respeito às redes sociais, mas as mentiras , as fake news são uma coisa impressionante, elas circulam a jato, pode inventar a maior mentira do mundo, botou na rede aquilo se esparrama em 10 minutos e está no Estado inteiro, no Brasil inteiro. Ai você repõe a verdade, dizem que é mentira e ninguém faz nada, vai devargarzinho, é um ou outro que tem a hombridade de reconhecer que postou uma mentira e reposicionar a verdade”, criticou. 

 

 

Fonte: Folha Max 


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-

DIA DAS MÃES