Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

MPE diz que gestores fazem política da morte na pandemia


01
Esta postagem foi publicada em 5 de abril de 2021 Destaque Slide Topo, Notícias.

Alexandre Guedes apontou que vidas de pessoas vulneráveis são tratadas como “mero insumo”

O promotor Alexandre Guedes: “Um conjunto de decisões e vontades destinadas a fazer prevalecer as necessidades econômicas e financeiras sobre as vidas humanas”

O promotor de Justiça Alexandre Guedes, do Ministério Público Estadual, afirmou que agentes políticos estão fazendo “necropolítica” por conta da ausência de medidas duras para o enfrentamento a pandemia da Covid-19.

Necropolítica, em uma definição simplificada, é o uso do poder social e político para ditar como algumas pessoas podem viver e como outras devem morrer.

Para exemplificar, o promotor lembrou a rejeição por parte da Assembleia Legislativa de um projeto do Governo do Estado para decretar um “feriadão” de 10 dias no Estado. A intenção era aumentar o isolamento social devido ao período de recesso.

“[…] Se negar ou resistir a medidas de isolamento e restrição de atividades tem composto o que se chama atualmente de ‘necropolitica’, isto é, um conjunto de decisões e vontades destinadas a fazer prevalecer as necessidades econômicas e financeiras sobre as vidas humanas”, disse .

“O termo ‘necro’ ou seja ‘morte’ se justifica dentro deste conceito na medida em que a negativa ou omissão de tomada de medidas restritivas, em um cenário onde não há tratamento farmacêutico e nem vacina implica em colocar em risco a população vulnerável, que é tratada como mero insumo, que pode ser facilmente reposto em caso de morte ou incapacidade por outro integrante da enorme população de desempregados”, completou.  

A crítica dura foi feita em uma ação civil publica ingressada pelo promotor contra o Estado e o município de Cuiabá. Na ação, o promotor pede a suspensão imediata das chamadas atividades não essenciais, como templos religiosos, academias de ginástica e salões de beleza, por 14 dias.

Na última senana, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) anunciou medidas para aumentar o rigor no combate à Covid. A decisão ocorreu após uma audiência promovida pelo Tribunal de Justiça.

“Empilhamento de corpos”

Guedes apontou que os agentes políticos tem apontado questões econômicas para a ausência de medidas duras para circulação de pessoas.

Ele sugere que o Governo Federal e Estadual têm que estabelecer políticas “de suprimento dessas pessoas, com retardamento de seus compromissos, especialmente os tributários e concernentes a tarifas públicas e pagamentos de incentivo em espécie para que possam suportar isso”.

“O que não pode acontecer e a continuidade do pleno funcionamento de atividades e circulação de pessoas, na medida em que isso, como se diz leva à intolerável omissão do empilhamento de corpos e doentes”, disse.

“De fato aos agentes da necropolitica e dos que dela aproveita se faz de tudo para deslegitimar a atuação dos agentes e servidores públicos que tem compromisso de defesa da sociedade”, emendou.

 

 

Fonte: Mídia News 


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-