Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook

NOVA BANDEIRANTES: GCCO recuperou 75% do valor roubado pelo Novo Cangaço, mas ainda busca cinco foragidos


11991
Esta postagem foi publicada em 4 de outubro de 2021 Destaque 1, Notícias.

A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) deflagrou na sexta-feira (01) a Operação Volantes, que teve como alvos mais envolvidos nos roubos a agências bancárias em Nova Bandeirantes, na modalidade Novo Cangaço. Segundo o titular da GCCO, delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, cerca de 75% do valor roubado foi recuperado nas ações das Forças de Segurança. A Polícia Civil de Mato Grosso contou com apoio, além das instituições de nosso Estado, da Polícia Civil de Pernambuco, região de onde veio a maioria dos criminosos. No total nove suspeitos foram mortos em confronto e o restante foi indiciado, sendo que cinco estão foragidos.

Segundo o delegado o crime começou a ser planejado 40 dias antes de sua execução. A facção criminosa Novo Cangaço veio para Mato Grosso bem estruturada, com um plano de ação claro. O bando se dividiu em três grupos para cometer o crime. Um atuou na logística, procurando casas para alugar, providenciando alimentação, etc, enquanto outro atuou na execução dos roubos nas agências. O terceiro grupo era responsável pelo resgate dos executores na região de mata onde se esconderiam.

“A grande maioria veio da região nordeste, tinham como base a cidade de Alta Floresta, algumas pessoas que já moravam ali deram um suporte, inclusive identificamos que um deles também foi chamado para participar deste roubo, ele teve participação em um roubo em mineradora meses atrás em Paranaíta, que também foi neste modus operandi, com extrema violência, e este indivíduo inclusive está foragido e tem dois mandados de prisão contra ele”, disse Vitor Hugo.

O Novo Cangaço, de acordo com o delegado, é uma facção criminosa com forte atuação na região Nordeste. Ele tem como característica ser um grupo fortemente armado, extremamente violento, que causa terror onde passa, utilizando pessoas como escudo humano. A Polícia Civil de Mato Grosso contou com a ajuda da Polícia Civil de Pernambuco, para conseguir esclarecer o crime.

“Temos hoje cinco pessoas foragidas, duas delas nós acreditamos que voltaram para lá [Nordeste], mas em uma investigação desta complexidade nós trabalhamos não só com a integração aqui no Estado, mas também nos outros Estados. Desde o início fizemos o contato com a Polícia Civil de Pernambuco, que nos auxiliou bastante, e agora também com estes foragidos, porque já tem mandado de prisão contra eles, nós continuamos contando com esta colaboração”.

Durante as investigações a GCCO conseguiu individualizar a conduta de cada um dos envolvidos, bem como a forma como cada um deles veio para Mato Grosso. Uma parte, por exemplo, veio em uma camionete que foi roubada em Petrolina, em Pernambuco. Este veículo acabou sendo incendiado pelos criminosos, em Mato Grosso, na tentativa de despistar a polícia.

“Nós tivemos que, em decorrência da complexidade dos fatos, fazer uma reconstituição, não só da cidade de Nova Bandeirantes, mas sim de toda a região nos últimos 40 dias, identificamos que este grupo, a grande maioria veio da região Nordeste, e tiveram como base a cidade de Alta Floresta. Houve divisão de tarefas para o cometimento do crime, que ocorreu de forma simultânea em duas agências bancárias, e a ideia desde o início era esconderijo em região de mata. Além da eficiência da polícia alguma coisa deu errado e foi possível a identificação dos confrontos, e do trabalho desta reconstituição”, disse o delegado.

Durante a investigação várias ações foram realizadas, com participação das Polícias Civil e Militar e também da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), resultando na prisão de alguns suspeitos e na morte de outros. A GCCO conseguiu recuperar boa parte do valor roubado.

“Quase 75% do valor subtraído foi recuperado, foram 13 veículos apreendidos, 12 armas de fogo de diversos calibre, inclusive algumas de grosso calibre como fuzis, quase 700 munições apreendidas, então foi realmente um trabalho árduo, complexo, que precisou da dedicação exclusiva dos envolvidos na investigação, e com muita dedicação e empenho conseguimos esclarecer completamente os fatos, até mesmo com efeito profilático, para que esta modalidade de crime não volte a ocorrer aqui no nosso Estado”, afirmou o delegado.

 

 

 

 

Fonte: Olhar Direto


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Politica de Privacidade!

-