Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Para “equilibrar forças”, Leitão lança pré-candidatura ao Senado


Esta postagem foi publicada em 27 de fevereiro de 2020 Notícias, Política.

O PSDB lançou na manhã desta quinta-feira (27) a pré-candidatura do ex-deputado federal Nilson Leitão para concorrer à eleição suplementar ao Senado, no dia 26 de abril.

Para Nilson Leitão, sua eventual ida para o Senado trará equilíbrio à representatividade política na bancada federal de Mato Grosso. Oriundo do Norte do Estado, o ex-parlamentar lembra que o Estado já conta com um senador da Baixada Cuiabana, Jaime Campos (DEM), e da região Sul, com Welligton Fagundes (PL).

“É importante que essas regiões que colaboram com a Capital financeiramente também possam colaborar politicamente. Para equilibrar esse jogo político no Senado. Não tenho como eu não ser candidato”, disse o pré-candidato.

O anúncio foi feito ao lado de correligionários e lideranças tucanas no diretório estadual do partido.

Leitão ainda revelou que houve uma conversa, em dezembro passado, com o também pré-candidato Júlio Campos (DEM) para que se unissem em uma chapa. No entanto, nem ele, nem Júlio admitem ser suplentes.

“Nem eu admiti, nem ele admitiu. Na reunião ficou acordado que os dois colocariam candidatura. E até dia 12 de março pode ocorrer alguma coisa de mudança da parte de lá, mas da parte de cá, nós seremos candidatos devido às responsabilidades que nós temos com o grupo, partido”.

“Nós não ganhamos o Governo do Estado, nem o Governo Federal na eleição de 2018. Temos a obrigação de fazermos esse movimento político a favor dos que perderam. Nós temos uma responsabilidade regional, eleitoral com a nossa base, e uma responsabilidade com Mato Grosso. Nós precisamos fechar Mato Grosso com representatividade em todas as regiões”, defendeu o tucano.

Partido rachado

O anúncio da candidatura pode levar a um racha no ninho tucano. Ocorre que além de Leitão, o ex-governador e candidato derrotado nas urnas em 2018, Pedro Taques, também tinha a pretensção de concorrer ao Senado.

O partido chegou a fazer uma pesquisa, que teria apontado Taques com maior rejeição que Leitão. O pré-candidato, no entanto, evitou comentar a pesquisa interna.

“Eu não participei disso. Só me perguntaram se poderia incluir o nome dele, eu autorizei na hora. Mas a nossa colocação acaba sendo um pouco mais confortável para eleição”, limitou-se a dizer.

 

Fonte: Midia News


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-