Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook

PC encontra corpo de rapaz decapitado e prende dupla em MT


7ce6b622f54aadd6e8d536e773a8d728
Esta postagem foi publicada em 31 de agosto de 2021 Destaque Slide Topo, Notícias.

Na manhã de segunda-feira (30), a Polícia Civil encontrou o corpo de um rapaz desaparecido há cerca de nove dias na cidade de Sinop (498 km de Cuiabá). Há cerca de uma semana, o pai do jovem Flávio Marques Ferreira, 20 anos, recebeu um vídeo no qual o filho aparecia sendo degolado por integrantes de uma facção criminosa.

 

O vídeo do rapaz morto e sem cabeça foi encaminhado para o pai, que de imediato reconheceu o filho. No vídeo, ele estava com os pés e mãos amarrados e com a cabeça sob as costas.

 

O corpo de Flávio estava em uma região de mata conhecida como “Pé de galinha”, próximo a MT-423, que liga a cidade de Sinop a Cláudia.

 

A moto da vítima, uma Honda Titan, vermelha, placa Mercosul, foi encontrada jogada dentro do córrego Curupy, ao lado da central de tratamento de água localizada na Estrada Ana. Testemunhas que passavam pelo local avistaram a moto caída e um capacete e acionaram o Corpo de Bombeiros, que chegaram a fazer buscas pelo corpo da vítima no córrego.

 

No sábado de madrugada, duas pessoas foram presas e apontaram o local onde o jovem estaria, cerca de 36 km da região central de Sinop, numa estrada vicinal sentido ao município de Juara. Buscas foram feitas no decorrer do dia, mas sem sucesso.

Os dois criminosos foram detidos com um revólver calibre 38, três munições e quantia em dinheiro. Interrogados novamente se a arma de fogo teria sido utilizada para matar Flávio, acabaram declarando o local em que ele pode estar enterrado, mas que o crime foi cometido com um facão. Neste novo local indicado, o corpo do rapaz foi encontrado.

 

Os dois rapazes não souberam detalhar os possíveis executores. Por outro lado, disseram aos policiais quem seria o mandante do homicídio.

 

Eles ainda passaram aos policiais as identificações e bairros em que outras pessoas que sabem do crime residem e podem ter envolvimento direto na morte. Agora, as investigações devem continuar para apurar as circunstâncias e responsáveis pelo crime.

 

 

 

Fonte: Folha Max


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Politica de Privacidade!

-