Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Peixoto de Azevedo: delegado aponta preliminarmente que preso com armas não tem envolvimento com mortes no Tocantins


04
Esta postagem foi publicada em 4 de dezembro de 2020 Notícias, Política.

O delegado da Polícia Civil de Peixoto de Azevedo, Edmundo Félix de Barros Filho confirmou, na tarde de ontem (03) que o homem, de 64 anos, preso pela Polícia Militar, ontem, em União do Norte, que é distrito de Peixoto acusado de posse irregular de arma de fogo não tem envolvimento com mortes em Araguaína, no Tocantins, no ano de 1984. A constatação preliminar feita através do Sistema Nacional de Segurança Pública e documentação apresentada pela advogada de defesa do acusado, esta manhã. No entanto, foi determinada coleta de impressão digital dele para análise pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), que fará o confronto com os dados da identidade apresentada no momento da prisão.

“Recebemos a suspeita da Polícia Militar que ele era suspeito de envolvimento nesse crime. Por conta da prisão pelas armas e munições, a custódia era de 24 horas. Nesse período, fizemos diversas diligências. Conseguimos verificar no banco de dados de mandado de prisão, além do sistema nacional. Recebemos também da advogada um salvo-conduto que comprova um processo que ele respondeu no Distrito Federal. Solicitamos também dados da Polícia Federal, que exige documentos originais para registro de armas. Por isso, verificamos inicialmente não ter ligação com crime ocorrido em Tocantins. Porém, seguindo a lei de identificação criminal, solicitamos exames datiloscópico e fotográfico”, explicou Barros Filho.

Em relação à prisão em flagrante pelas armas de fogo, o delegado explicou que foi estipulada fiança e o acusado foi solto hoje, por volta das 13h. “Cumprimos a lei e não poderíamos mantê-lo preso por apenas suspeitas. Além disso, o crime este extinto. Matemos no prazo legal de flagrante. É um senhor com problemas de pressão, diabetes e mantivemos cautela. Legalmente foi estipulada a fiança, paga e foi liberado. Agora, seguirá em liberdade respondendo pelas armas de fogo aprendidas. Uma das armas tem o registro no nome dele, mas está irregular. Vamos aguardar o resultado do exame datiloscópico para confirmar autenticidade da identidade apresentada. O tempo para conclusão depende da Politec”.

Conforme já informou, uma denúncia levou os policiais militares até a propriedade apontado que o homem era foragido da Justiça. No sítio dele, foram apreendidas uma pistola calibre 380, uma espingarda calibre 20, carregador e diversas munições dos dois calibres.

 

 

 

 

 

Fonte: Só Notícias


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-