Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Polícia Federal faz buscas em gabinetes de dois deputados


005
Esta postagem foi publicada em 11 de dezembro de 2020 Destaque Slide Topo, Notícias.

(Atualizada às 16h34) –  Em nota emitida, o deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) esclarece sobre a operação deflagrada pela Polícia Federal.

Três deputados estaduais e um ex-parlamentar foram alvos da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (09). Nininho (PSD) e Romoaldo Júnior (MDB) tiveram os seus gabinetes na Assembleia Legislativa vasculhados pelos agentes.  O deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) também foi citado nas investigações.

 

Já o ex-deputado Mauro Savi (sem partido) foi alvo de busca e apreensão em seu apartamento, tendo o seu celular apreendido. Porém, nega ter sofrido buscas. A Operação Chapéu de Palha foi autorizada pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) e cumpre mais de 30 mandados de busca e apreensão contra deputados, prefeitos, vereadores e empresários.

 

A investigação se iniciou por conta da delação do ex-governador Silval Barbosa (sem partido). Diante disse a construtora Pirâmide passou a ser investigada por obras pequenas em vários municípios do Estado. Além dos parlamentares, o prefeito de Itiquira (357 km ao sul de Cuiabá), Humberto Bortolini, o Betão (PSD) – que é irmão de Nininho -, também foi alvo de busca e apreensão.

 

Conforme a PF, ao todo, são 130 agentes nas ruas de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis (212 km ao sul), Sinop (500 km ao norte), Alto Taquari (479 km ao sul), Itiquira, Juscimeira(157 km ao sul), Jaciara (144 km ao sul), São Pedro da Cipa (448 km ao sul), Dom Aquino (166 km ao sul) e Alta Floresta (803 km ao norte).

 

Outro lado

O advogado José Carlos Júnior, que faz a defesa de Nininho afirmou que não existe qualquer relação das investigações com o mandato parlamentar do deputado. “É um absurdo, nos autos não cita em nenhum momento qualquer relação com a atividade parlamentar dele”.

 

O advogado ainda disse que ainda aguarda ter acesso aos autos do processo para depois se manifestar. Dilmar Dal Bosco nega ter envolvimento com a operação. O advogado do deputado Romoaldo Júnior, Francisco Faiad, confirmou o mandado contra o parlamentar, mas disse que ainda não conseguiu contato com o cliente. Já Mauro Savi não atendeu às ligações da reportagem.

 

Confira a nota na íntegra

O Deputado Estadual Dilmar Dal Bosco, do Democratas, juntamente com
seu advogado, Dr. André Albuquerque, vem a publico manifestar, através
desta Nota, sobre a operação da Polícia Federal, deflagrada na manha
desta quarta-feira, dia nove de dezembro de 2020, conforme o que segue
abaixo:
1- Trata-se de um Processo que corre em segredo de justiça, no
Tribunal Regional Federal (TRF-1) por envolver acusados que
possuem foro privilegiado, razão pela qual, não se pode dar
detalhes sobre pessoas ou envolvimento destas, neste processo.
2- Vale dizer que o Deputado Estadual Dilmar Dal Bosco não é réu, não
é indiciado e nem tão pouco investigado, apenas, foi alvo de busca e
apreensão de documentos em sua residência particular, na cidade
de Sinop-MT, na tentativa de encontrar documentos que poderiam
ligar o Parlamentar ter qualquer relação com os acusados. Porém,
nada fora encontrado que conclua tal ligação do Parlamentar aos
envolvidos.
3- Ao contrario do que vem sendo noticiado pela mídia, o Gabinete do
Deputado Dilmar Dal Bosco, na Assembleia Legislativa de Mato
Grosso, não foi, em momento algum, alvo de busca e apreensão.
Sequer, houve visita de qualquer policial federal ou outros.
4- Sendo assim, a defesa irá buscar informações junto ao Processo
Judicial, para saber quais foram as razões que levaram a tamanha
exposição desnecessária para com o Parlamentar, além de outras
medidas que entender serem necessárias.

 

 

 

 

 

Fonte: Gazeta Digital


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-