Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Profissionais da saúde poderão ser classificados como vítimas de acidente laboral em Mato Grosso


02
Esta postagem foi publicada em 18 de junho de 2020 Destaque Slide Topo, Notícias.

Está apto para apreciação em primeiro turno na Assembleia Legislativa de Mato Grosso o Projeto de Lei 490/2020 que enquadra os profissionais da saúde mortos ou que tenham redução da capacidade de trabalho durante a pandemia do novo Coronavírus na categoria de vítimas de acidente em serviço ou de doença profissional. A matéria é do deputado Doutor Gimezez (PV) e já teve parecer favorável da Comissão de Trabalho e Administração Pública.

“Fica determinado que os profissionais da saúde, que se tornarem vítimas fatais ou tiverem redução da capacidade laboral, decorrente do contágio do Coronavírus (Covid-19), serão considerados casos de acidente em serviço ou doença profissional, no âmbito do Estado de Mato Grosso”, diz o primeiro artigo da propositura, que ainda considera “profissional de saúde, todos aqueles que, comprovadamente, mantiveram-se trabalhando em hospitais, clínicas e afins, diretamente ou indiretamente em contato com o público, em unidades responsáveis pelo recebimento de pacientes” seja do serviço público ou privado.

Ao considerar acidente de trabalho, explicou o parlamentar ao Só Notícias, diminui-se a burocracia para a vítima da doença conseguir pensão, seja junto ao INSS, no caso setor privado, ou nos regimes próprios de previdência, no caso do setor público.

“Esses profissionais não podem se submeter à quarentena, pois são considerados ‘linha de frente’ no enfrentamento à pandemia. Com isso, exercem a profissão em seus mais diversos setores, tendo contato com inúmeras pessoas e estão em uma condição muito mais vulnerável”, justificou o deputado enfatizando o merecimento da excepcionalidade enquanto durar o decreto de calamidade pública.

A discussão sobre a classificação de acidente de trabalho segue indefinida no âmbito nacional. O Governo Federal chegou a tentar impedir a classificação, mas houve interferência do Supremo Tribunal Federal e a situação segue indefinida. Em Mato Grosso, o Doutor Gimenez busca fomentar a discussão, mesmo com risco de veto por parte do governo.

 

 

 

 

 

Fonte: Só Notícias


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



-