Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed

Facebook

Se confirmado coronavírus, paciente de MT será transferido; exame demora quatro dias


Esta postagem foi publicada em 28 de fevereiro de 2020 Destaque Slide Topo, Notícias.

O  morador de Alto Taquari (a 479 quilômetros de Cuiabá), que apresentava sintomas que poderã ser enquadrados no coronavírus (COVID-19), deve sair do isolamento domiciliar e ir para uma unidade de saúde caso a doença seja confirmada. O resultado dos exames sai em até quatro dias (após o envio do material). Ele havia viajado para a Itália e também outros países com notificações da doença.

Segundo o prefeito da cidade, Fábio Garbugio (PTB), enquanto não há confirmação do vírus, o homem pode ficar isolado na residência onde mora. Conforme a Defesa Civil, ele não pode ficar no hospital, que não teria a estrutura necessária. O caso é apurado pela Secretaria Estadual de Saúde (SMS).
 
“Nada que precise se alarmar agora. Ele andou, passou por alguns países além da Itália. Não existe essa questão de ele ter sofrido uma piora. O agravante é se é criança ou idoso, o que não é. Isso tranquiliza a gente muito mais.Estamos alerta, a parte do hospital está mantendo contato direto. Todos procedimentos foram feitos da maneira correta. Se for constatado, ele deverá ser removido para outro local”, afirmou o prefeito em entrevista
 
Todas as medidas adotadas são conforme protocolos do Ministério da Saúde, OMS e Escritório Regional de Saúde. A Defesa Civil do Estado se colocou à disposição diante da situação, caso seja eventualmente necessária sua intervenção. 

Casos suspeitos ou confirmados para coronavírus, que não necessitam de hospitalização, poderão manter isolamento domiciliar e acompanhamento/investigação pela equipe de saúde.

Conforme nota da Prefeitura, o paciente se enquadra nas condições para ser definido como tal (febre e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório – tosse, dificuldade de respirar entre outros), além do histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais e sintomas.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que tem identificado os rumores a cerca de possíveis suspeitos para o COVID-19 em Mato Grosso e que imediatamente acionou os serviços de saúde para esclarecimento.

Veja nota na íntegra:

A Secretaria Estadual de Saúde, através do Centro de Operações em Emergência a Saúde Pública para o COVID-19, informa que tem identificado os rumores a cerca de possíveis suspeitos para o COVID-19 em Mato Grosso e que imediatamente tem acionado os serviços de saúde local para esclarecimento e a tomada de medidas imediata. Informamos que todos os casos alvo de rumores de suspeitos de coronavírus foram verificados e até o momento nenhum caso foi enquadrado nas definições de casos preconizada pelo Ministério da Saúde.

Ressaltamos que o site da SES( http://www.saude.mt.gov.br/informe/581) e do Ministério da Saúde (https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus) dispõe de informações acerca do coronavírus, e que estas são as informações oficiais.

Solicitamos a todos que não divulguem informações que não sejam oficiais e que busquem a veracidade da mesma, pois divulgar notícias falsas causa pânico e atrapalha a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:
 evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;  realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
 utilizar lenço descartável para higiene nasal;
 cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
 evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
 higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
 não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
 manter os ambientes bem ventilados;
 evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde
CIEVS-MT 

 

 

Fonte: Olhar Direto


WhatsApp

Nenhum banner para exibir



Nenhum banner para exibir

Nenhum banner para exibir

-